Policiais federais em revenda de carro usada para esquentar dinheiro do tráfico - (Foto: Álvaro Rezende / Correio do Estado)

Três irmãos empresários de Campo Grande são apontados como chefes do narcotráfico internacional, de acordo com a Polícia Federal. Dois deles foram presos na cidade e um no Estado de São Paulo. No total, 17 pessoas foram detidas, 30 veículos de luxo e 10 armas aprendidas durante a Operação Nevada, desencadeada na manhã desta quinta-feira (09/06), para desarticular a quadrilha de tráfico de cocaína e lavagem de dinheiro.

A quadrilha de traficantes que atuava em Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e São Paulo e foi desmantelada pela Polícia Federal mantinha armas de grosso calibre para a possível proteção de seus integrantes.

Durante a Operação Nevada, os policiais encontraram ao menos um fuzil 5,56 mm na casa de um dos suspeitos. Esse armamento é de uso restrito do Exército.

Havia também espingarda, pistola e revólver. Ao todo foram 10 armas apreendidas, sendo quatro longas e seis curtas.

casa-traficante-valdenir-rezende-21Conforme apurado ao longo de dois anos de investigação, os traficantes traziam cocaína da Bolívia para o Brasil em avião. Dos céus, os traficantes arremessavam a droga para fazendas de Porto Murtinho e comparsas pegavam toda a cocaína. Ainda é apurada a participação de produtores rurais no esquema.

O carregamento era transportado em carros de passeio, caminhonete e até caminhões, tudo dependia da quantidade de droga. Carregados, os veículos seguiam por estradas vicinais de Bodoquena e Bonito e tinham o estado de São Paulo como destino.

O esquema movimentou em quatro anos R$ 14 milhões e o dinheiro era “lavado” com a compra de carros de luxo, alguns com preço de mercado de R$ 600 mil, e imóveis cujos valores ultrapassam R$ 5 milhões.

wm-640x480-df2112be5a8f5ffcc47e479683ac11f9Uma das empresas usadas era a revenda de veículos Inove, que fica na Avenida Rodolfo José Pinho, na Capital. O dono da garagem não teve o nome divulgado e foi identificado apenas como André.

Esse homem era casado com mulher irmã dos traficantes, que a Polícia Federal identificou como sendo três irmãos. O casamento teria recentemente terminado e o empresário, que morava no Damha, estaria vivendo no bairro Cidade Morena.

Na investigação, verificou-se que André indicava em sua declaração de imposto de renda rendimentos de no máximo R$ 50 mil. Essa quantia não justificava o volume movimentado no comércio. Funcionários também estavam com salários atrasados.

MANDADOS

Os delegados responsáveis pelo inquérito, Fabrício Martins Rocha e Cleo Mazzotti, obtiveram da 3ª Vara Federal de Campo Grande 20 mandados de prisão preventiva, sete de condução coercitiva, 31 de busca e apreensão e 47 de sequestro de veículos.

Foram necessários 170 policiais federais para cumprir os mandados em Campo Grande, Bonito, Bodoquena, Rondonópolis (MT), São Paulo, Guarulhos, São Bernardo do Campo e Guarujá (cidades no estado de São Paulo).

A Polícia Federal divulgou que 17 pessoas foram presas e 40 quilos de cocaína foram apreendidos, além das armas. Ao longo da investigação já tinham sido encontrados 778 quilos de cocaína, US$ 2,2 milhões e R$ 38 mil.

Em uma das casas, os policiais precisaram fazer escavação para encontrar celular que foi dispensado por um dos suspeitos ao saber que seria preso.

Foi dado o nome de Nevada à operação porque uma das casas onde houve buscas fica na Rua Serra Nevada, no bairro Chácara Cachoeira, na Capital.